Du Black

Du Black

  • Du Black

    Du Black

    Du Black

    Du Black

    Juntos desde o final de 2004, os quatro rapazes da DuBlack vêm traçando um caminho interessante dentro do atual cenário musical do Espírito Santo. Fazendo música de caráter universal, têm como base a música negra norte americana, com influências da música brasileira e do pop dos anos 70.

    Desde o momento em que a banda nasceu, os músicos da DuBlack têm, entre seus objetivos, o crescimento profissional. Para tanto, são desenvolvidas diversas atividades tendo como fim a busca e a consolidação de uma sonoridade própria.

    Ainda em 2004, a DuBlack fez alguns shows pelo sul do estado e começou a pré-produção da gravação de cinco músicas próprias e inéditas. O processo, de gravação, iniciou-se em janeiro de 2005, estendendo-se até o final de março do mesmo ano. As músicas foram divulgadas pela banda no site Trama Virtual, uma grande ferramenta de divulgação para os artistas independentes do país. Junto com a veiculação das músicas vieram os shows e a participação em alguns projetos importantes.

    Em maio de 2005, a DuBlack realizou um show histórico no Teatro Municipal Fernando Torres em Guaçuí (ES), com lotação esgotada. Um recorde de público para shows do gênero. Ao mesmo tempo, as músicas eram executadas em várias rádios, cobrindo uma área expressiva do país. Enumeramos algumas: Rádio Rio Vermelho, do estado de Goiás; Unisul FM de Vassouras (RJ); Tribuna FM, de Vitória (ES). Isto fez com o que o público da banda aumentasse a cada dia. A cobrança por um novo trabalho tornou-se cada vez mais maior,.

    O site oficial www.dublack.com foi colocado no ar, fazendo com que um grande número de pessoas conhecessem o trabalho de forma detalhada e clara. Já no primeiro mês, o número de visitas extrapolou todas as expectativas. Indiscutivelmente a divulgação pela Internet foi essencial para que o grupo mostrasse sua obra para um sem número de pessoas ligadas, ou não, ao meio musical. Com isso, conseguiu o respeito de inúmeras personalidades importantes da música no país, o que pode ser constatado através de uma visita à comunidade dedicada à banda no site de relacionamentos Orkut.

    A DuBlack finalmente chegou à capital do estado. Participou do projeto “Novos Talentos”, uma iniciativa da Secretaria de Estado da Cultura (SECULT), através da Coordenação de Música, sendo considerada o grande destaque daquele festival, realizado no Teatro Carmélia. O show teve ótima repercussão no meio musical de Vitória. Em meados de agosto de 2005, a banda foi escolhida para constar do “I Catálogo de Produtos Culturais do Espírito Santo”, também um projeto do SECULT, que trouxe um importante resumo das atividades culturais realizadas em todo o território espírito-santense.

    Depois de um tempo, de volta a Vitória, o grupo realizou um belíssimo show, no cultuado bar “Jazz Café”, em parceria com a cantora e compositora Tamy, arrancando ótimas críticas do público. Essa apresentação foi decisiva para consolidação da DuBlack no cenário musical do estado.

    Em novembro de 2005, novos projetos foram colocados em prática, incluindo-se, entre eles, o início da pré-produção do primeiro CD. No mesmo mês, a DuBlack fez um show em Castelo (ES), com a repetição do sucesso de público e crítica, já alcançado em ocasiões anteriores.


    O ano de 2006 chegou e com ele diversos projetos, que incluíam a gravação do primeiro disco, de forma independente. Logo no início deste ano, a DuBlack participou da “Temporada de Verão”, e, a convite da SECULT, fez um dos shows da série que foi promovida em todo o litoral do Espírito Santo. A DuBlack tocou em Iriri, quando também conseguiu cumprir sua missão principal. Ou seja, a de agradar fazendo música de boa qualidade.

    A necessidade de estabelecer contatos relacionados à gravação do disco, levou o grupo a uma viagem ao Rio (RJ), no mês janeiro. Naquela ocasião, aconteceu um encontro com Ed Motta, que já havia tido contato com a música da DuBlack. Desnecessário seria falar da importância de que se revestiu o momento. Porém, há de se destacar o fato de que ele, Ed Motta, se manifestou de forma positiva com relação ao trabalho da banda. Vale lembrar, ainda, que aquele encontro aconteceu no seu apartamento e estendeu-se por cerca de 5 horas. Muito bom, realmente.

    Estava tudo pronto, então, para que o disco começasse ser gravado. Finalmente, em março de 2006, Lucas, Thiago, Artur e Jefferson entraram em estúdio para dar início às gravações do primeiro CD da DuBlack.

    A fase se estendeu de março, deste ano, até o mês agosto. No decorrer desse tempo, os quatro músicos desenvolveram um trabalho meticuloso na criação dos arranjos e no próprio processo de gravação do disco, elaborando, assim, um conceito sonoro ousado e diferenciado dos trabalhos feitos na região. A gravação do CD foi tratada com total exclusividade pela banda, sendo que nesse período não foram realizados shows. O resultado foi um disco extremamente maduro com belas composições e arranjos detalhados. As 12 músicas que compõem o disco tem influências do soul, da música brasileira, da música pop dos anos 70 e também do jazz. Nasceu assim o álbum “Soulshine”.


    Capa de “Soulshine”

    A DuBlack sempre procurou priorizar a qualidade artística e a liberdade de criação,características que poderão ser percebidas de forma explicita no disco. O trabalho foi mixado no Rio de Janeiro em dezembro de 2006, no estúdio Robertinho de Recife, localizado no Pólo Rio Cine Vídeo na Barra da Tijuca, com participação do próprio Robertinho, outro fã confesso da banda. A masterização foi feita no estúdio Central da Música em Castelo-ES, onde também foi realizada a gravação.

    Durante o processo de finalização do CD, a Du Black deu continuidade a projetos musicais como a bem sucedida temporada “Tamy convida Du Black”, na Curva da Jurema, em Vitória-ES. O projeto se estendeu até as casas de show Bojangles, Barracústico e Jazz Café.

    Com o término do projeto, a banda entrou de cabeça no processo de finalização do CD, e mesmo antes de “Soulshine” fica pronto, as músicas já eram divulgadas no My Space, recebendo comentários positivos de todo o mundo.

    “Soulshine” ficou pronto em agosto de 2008, e nessa época a banda foi convidada pela cantora Tamy para acompanha-la nos shows do projeto “Circulação Cultural”. Durante as apresentações, a banda fazia um pocket show divulgando as músicas do disco.

    Em novembro de 2008 fizeram o lançamento do disco “Soulshine” em Guaçuí-ES, cidade natal da banda. O show foi realizado no Teatro Fernando Torres.

    Foram selecionados para o catalógo “Música do Espírito Santo”, parceria da SECULT-ES, Sebrae e Instituto Quorum. Esse projeto foi apresentado nas maiores feiras fonográficas do mundo com a Womex (Espanha) e a Popkomn (Alemanha).

    Após o lancamento de “Soulshine” várias músicas foram executadas em rádios européias como a BBC 6 (Londres), Rodon FM (Grécia), Mariupol FM (Ucrânia) e Dublin City FM (Irlanda).

    Na rádio Tribuna FM, conhecida pela qualidade e bom gosto na programação, algumas músicas de “Soulshine” entraram na lista das mais pedidas por diversas vezes.

    Foram incluídos no Dicionário Cravo Albim e recentemente abriram o show de Tamy e Roberto Menescal no Projeto Seis e Meia, e foram muito elogiados pelo mestre da bossa nova.

    Ainda em 2009 lançaram o Projeto Quinta Soul no Spirito Jazz, em parceria com Idalina Dornellas.

    Em agosto de 2009 a Du Black volta ao palco do Theatro Carlos Gomes, só que dessa vez como a atração principal do Projeto Seis e Meia. Dividiram o palco com Leila Pinheiro. O show foi realmente um sucesso, com lotação máxima do teatro. Vale lembrar que a Du Black foi a única banda residente no interior do ES que participou do Projeto Seis e Meia como atração principal, até o presente momento.

    Finalizaram o ano de 2009 com agenda lotada com apresentações por todo o estado.

    No início de 2010 a Du Black recebeu um convite da Prefeitura de Vitória para a realização de um show na Temporada de Verão, na Praia de Camburi. Na ocasião também tocaram como banda de apoio para a cantora Idalina Dornellas.

    Ainda em 2010 participaram do show de lançamento do cd “CARAVELA” acompanhando a cantora capixaba Karla Skarine. Também fizeram a abertura da 32 Festa da Polenta, em Venda Nova do Imigrante.

    Acabaram de participar ,ao lado de Idalina Dornellas, do Projeto de Capacitação Profissional em Música II. Foram convidados para o Módulo Áudio e Música – Produção Fonográfica, em curso ministrado pelo lendário produtor Mayrton Bahia (Legião Urbana, Cássia Eller, Elis Regina). O projeto consiste na produção e gravação de uma música, que será trabalhada nos próximos cursos.

    Atualmente a banda continua divulgando seu disco “Soulshine” e realizando apresentações em todo o estado. A música da Du Black continua rompendo barreiras, já que, a faixa “Quilombo” estreou na programação de rádios nos EUA, Europa e Japão.

    Os projetos futuros incluem novos shows, viagens e a divulgação do trabalho nos grandes centros do país. Além da gravação de um novo disco, já em fase de pré-produção.

    Sendo assim, a Du Black aposta na sua mistura de sonoridades e vem mostrar seu trabalho para alcançar mais um dos seus objetivos: o de tornar-se uma das referências da música de boa qualidade feita no país.

    *Comentários:

    Robert Lamm (Vocalista e Tecladista da banda norte-americana Chicago)

    “Lucas...this music sounds really good! I will try to buy your album.
    Is it finished? Where are you gigging?”

    Letieres Leite (Saxofonista e Maestro Baiano, atualmente acompanha a cantora Ivete Sangalo)

    “valeu !!!

    gostaria de agradecer as palavras .e dizer também q adoro o som de vcs..excelentes escolhas harmônicas,exclusivos desenhos de base,timbre e execução magníficos...a musica flui leve e verdadeira..
    grande abraço, ,letieres”

    Edu Luke (músico e produtor paulista, filho do Eduardo Araújo e Silvinha)

    “Fala moçada! Valeu pelo toque, o som esta simplesmente uma delicia. Perfeita vibração.. thumbs ups total! Parabéns do antigo fã e amigo”

    Ed Motta (cantor e compositor carioca)

    “Hey Brodas !!!

    Ficou no capricho !
    As composições eu já conhecia, o som e o playing estão super great.
    As ghosts da caixa estão um primor, e o som e intenção de tudo.
    Let's keep D good work brodas!!!

    Ed”

    Cláudio Costa (Guitarrista carioca: Sandra de Sá, João Sabiá, Banda Black Rio)

    “Poderia eu fazer CONSIDERAÇÕES ?
    Nada !!! O som de vocês já diz tudo. Parabéns !!!
    Obrigado pelo convite, sejam mais do que bem vindos.

    Abração”



    Willian Magalhães (Tecladista carioca, filho do lendário Oberdan Magalhães fundador da banda Black Rio)

    “Muito bom as novas músicas ,parabéns galera . Esse é o caminho!

    Abraços mil

    Will”

    João Sabiá (Cantor carioca, revelado no programa FAMA da Rede Globo)

    “Muito bom o som !!Sou fã!!
    Axé”

    Ski Oankenful (músico inglês e produtor da banda britânica Incognito )

    “Hi
    Thanks for the Add! Love your music!
    all the best for 2007
    cheers
    ski”


    Carlos Dafé (cantor e compositor, lenda viva da Black Music Brasileira)

    “Gostei muito do CD, principalmente os timbres. Me lembrou muito os anos 70. Um dos melhores discos que ouvi nos últimos tempos. Parabéns!!”


    *Estes e outros comentários estão disponíveis no endereço: www.myspace.com/dublack

    Integrantes:
    Lucas Arruda: Teclados e Voz
    Jefferson Lourenço: Guitarra e Vocais
    Thiago Arruda: Bateria e Vocais
    Artur Avelar: Contrabaixo

    Telefone: 28 99892334 / 28 35531195
    E-mail: lucasdublack@gmail.com

    Residência: Guaçuí - es (Brasil)

    Estilo
    Funk/Soul

    Redes Sociais

  • Veja

    dsc06103-4e52700f15351.JPG dsc06111-4e527043bc270.JPG dsc06152-4e52707312f1c.JPG dsc06123-4e5270a12e482.JPG dsc06143-4e527108784e9.JPG dsc06131-4e52713261d98.JPG dsc06150-4e52715cb886a.JPG dsc06148-4e5271a4c659e.JPG
  • Ouça

  • Assista

  • Twitter